loader image

Assembleia Legislativa do Estado do Acre

Adailton Cruz volta a destacar importância de rever valor dos plantões dos técnicos de enfermagem

Em discurso na sessão desta terça-feira (2), o deputado Adailton Cruz (PSB), agradeceu aos parlamentares por terem votado favorável ao projeto de lei de autoria do Executivo que atualiza a tabela de Adicional de Plantão Emergencial para os Grupos I, II e III, do quadro de pessoal da Sesacre e da Fundação Hospital Estadual do Acre.

O parlamentar lamentou ainda a rejeição da emenda de sua autoria ao referido projeto que aumentava o valor do plantão dos técnicos de enfermagem do Estado do Acre de R$ 78 para R$ 101. Durante votação realizada na semana passada, a medida foi rejeitada por seis votos a quatro, seguindo a orientação do Palácio Rio Branco.

“Agradeço a todos os deputados que votaram pela aprovação do projeto, mas, lamento demais que a minha emenda tenha sido rejeitada mesmo com a líder do governo votando a favor dela. A verdade é que a remuneração de R$ 78 é insuficiente para os trabalhadores que precisam trabalhar por 12, 24, 36 ou até 48 horas para complementar a renda e não passar fome. Até o valor de R$ 101 ainda é pouco levando em consideração o que de fato eles merecem”, disse o deputado.

Adailton Cruz mostrou a disparidade entre o governo do Estado e a Prefeitura Municipal de Rio Branco com relação a estes mesmos profissionais. “Para se ter uma ideia, o plantão hoje é R$ 78. Se tivesse concedido esse reajuste para R$ 101,00. O prefeito de Rio Branco paga R$ 280 por 12 horas e o estado está pagando R$ 70 para trabalhar em um hospital de urgência e emergência pelas mesmas 12 horas”, pontuou.

O parlamentar se solidarizou com a categoria que, segundo ele, pode deflagrar greve após derrubada da proposta de reajuste salarial de técnicos de enfermagem na Aleac. “Os trabalhadores em Saúde se reúnem hoje em assembleia, para deliberarem a respeito dos plantões da classe técnica, que envolve técnicos de enfermagem, técnicos em radiologia, entre outros trabalhadores dessa categoria. Eles não aceitam a não aprovação do reajuste dos plantões, que atualmente estão estacionados em R$ 78. Agora, se a categoria decidir entregar as coletivas dos plantões extras de todos os técnicos dos quadros do Estado isso vai inviabilizar a assistência de saúde no Acre inteiro, da Fundação Hospitalar a Assis Brasil. Isso vai penalizar a nossa população. Peço que o governador reflita sobre o assunto, o reajuste desses servidores é um caso de justiça”, complementou.

Texto: Mircléia Magalhães/Agência Aleac

Foto: Sérgio Vale