Major Rocha pede apoio para aprovação de projeto que beneficia taxistas

rocha180614O deputado Major Rocha (PSDB) pediu na sessão desta quarta-feira, 18, que a Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa realizasse uma audiência para debater o projeto de lei de autoria do deputado Éber Machado (PSDC). O projeto visa reparar a Lei nº 2.731, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre o Sistema de Transportes Rodoviário Intermunicipal e de Passageiros do Estado do Acre.

De acordo com o oposicionista, os taxistas alegam que a lei aprovada em plenário pelos deputados estaduais prejudica mais de mil profissionais que atuam na região do Alto Acre, isso porque a lei proíbe que eles peguem passageiros em Rio Branco, podendo apenas voltar com os mesmos passageiros que trazem dos municípios.

Para Major Rocha o projeto de autoria do deputado Éber Machado deve ser imediatamente discutido em plenário para que possa ser levado à votação como forma de reparo. “Quero pedir que a Comissão de Constituição, Justiça e Redação possa se reunir para analisar o projeto de lei do deputado Éber Machado para que a gente possa, de uma vez por toda, conduzi-lo à votação corrigindo assim esse erro horrível que foi cometido com os taxistas. Precisamos reparar esse mal que foi causado a essa classe tão trabalhadora”, disse.

Segurança Pública

O deputado relatou também a visita que fez às unidades da Polícia Militar do Estado do Acre. Rocha disse que na ocasião os policias informaram que as viaturas que estão sendo utilizadas na Operação Visibilidade não estão disponíveis para atender a ocorrências, a informação deixou o parlamentar preocupado.

“Durante essa visita fui surpreendido com uma informação que me deixou preocupado: os policiais me disseram que as ocorrências que estão sendo usadas na Operação Visibilidade não estão operando nas ocorrências diárias e isso não pode acontecer. As viaturas utilizadas para atender a população no dia-a-dia já estão bem sucateadas e é isso que me preocupa”, disse.

O parlamentar fez questão de ressaltar que não é contra a Operação Visibilidade. A operação de caráter preventivo e repressivo ao furto e roubo conta com a aprovação do oposicionista. “A Operação Visibilidade veio, sim, em boa hora porque pacifica a presença da força policial no Estado, mas a operação não pode ficar só no faz de conta e sim atuando efetivamente no combate à criminalidade”, complementou.

Quanto ao suposto “desentendimento” entre as polícias civil e militar, o parlamentar comentou. “Os policiais sempre que me encontram relatam o caos que se instalou no serviço policial, eu peço que o secretário de Segurança Pública e o secretário da Polícia Civil se entendam, que entrem num consenso para que os nossos policiais possam operar de uma forma mais consistente no Estado”, ressaltou.
Major Rocha retornou à tribuna no Grande Expediente para repudiar as declarações que, segundo ele, o governador Tião Viana (PT) concedeu durante uma reunião na Associação Comercial do Acre. De acordo com o deputado, o governador teria afirmado que grupos políticos estariam praticando crimes para contaminar o período eleitoral.

“O governador disse que tem um grupo criminoso na política do Acre e eu quero que ele diga para a população acreana que grupo é esse porque eu sei qual é o grupo a que ele está se referindo, é o G7, grupo esse que sempre financiou o PT. Está na hora de Tião parar de acusar a oposição, quem foi que teve o secretariado quase todo preso?”, indagou.

O deputado falou ainda das prisões ocorridas na Operação G7. “A Polícia Federal bateu na sua porta e prendeu seu sobrinho e o secretariado quase todo. O governador não pode ficar soltando afirmações sem comprovar quem são estas pessoas. O grupo criminoso que está contaminando o processo eleitoral é o grupo do G7”, afirmou.

Mircléia Magalhães
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com