loader image

Assembleia Legislativa do Estado do Acre

Sessão Solene na Aleac celebra o Setembro Dourado, mês de conscientização e combate ao Câncer Infantojuvenil

A Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) realizou na manhã desta sexta-feira (15) uma Sessão Solene em alusão ao “Setembro Dourado”, mês de conscientização e combate ao câncer infantojuvenil. A iniciativa, proposta no requerimento número 128/2023, é de autoria da deputada Dra. Michelle Melo (PDT).

O evento marca um importante momento de união e reflexão, onde parlamentares, profissionais de saúde, organizações não governamentais e membros da comunidade se reúnem para destacar a importância da detecção precoce e do apoio às famílias que enfrentam essa difícil jornada.

Ao dar início a solenidade, a deputada Michelle Melo destacou a importância da campanha e do debate acerca do tema. A parlamentar também prestou uma emocionante homenagem aos profissionais da saúde, casas de apoio e todos aqueles envolvidos em um trabalho que segundo ela, é muitas vezes invisível, mas realizado com maestria por aqueles que o amam.

“Essa solenidade é na verdade um gesto de agradecimento e reconhecimento ao trabalho da doutora Valéria Paiva, nossa oncologista pediatra, e toda a sua equipe que desempenha um papel fundamental nessa área. Que esse reconhecimento recebido nesta sessão solene sirva para dar mais força e incentivo para que a doutora continue a desempenhar seu trabalho admirável em prol da saúde em nosso estado. Hoje, nós estamos aqui para ouvi-la, queremos saber mais sobre o tratamento e a cura que vocês levam para várias crianças do Acre”, disse.

Em seguida, o Dr. Rafael Carvalho, gerente de assistência e médico oncologista da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), expressou sua admiração pelo incansável trabalho realizado pela equipe que atua no Hospital, em meio às dificuldades do Acre. Ele ressaltou a importância de conscientizar a população sobre os sintomas e a prevenção.

“Agradeço pelo convite e espaço de debate e cumprimento a todos os profissionais que fazem parte dessa luta no Unacon. Deixo registrada minha admiração pelo trabalho da Dr. Valéria, trabalhar com câncer é difícil, no Acre é ainda pior e quando se trata de crianças, a situação complica ainda mais. Graças a Deus conseguimos fazer exames essenciais, brigamos contra a morte todos os dias, alertando a população sobre os sintomas e prevenção e também na cura daqueles que estão em tratamento. Graças a Deus temos muitas pessoas curadas”, disse.

Já Maria Barbosa, presidente da Associação de Apoio Amigos do Peito, agradeceu pelo ato solene e reiterou seu compromisso na luta liderada pela Dra. Valéria Paiva. Ela destacou a acolhida às pessoas que vêm de diferentes municípios em busca de tratamento, ressaltando a necessidade de realizar ações de conscientização todos os anos.

“A união dessas instituições e profissionais reflete a solidariedade e determinação da sociedade acreana na batalha contra o câncer infantil. A Dra. Valéria, uma figura central na luta contra o câncer infantil no Acre, merece reconhecimento por sua liderança inspiradora. Seu compromisso em melhorar a vida das crianças enfrentando essa doença, serve de exemplo para todos nós”, enalteceu.

Em sua fala, a Dra. Valéria Pereira Paiva, oncologista pediatra do Estado, destacou os desafios e esperanças na luta contra o câncer infantojuvenil no Acre. Ela e sua equipe têm desempenhado um papel fundamental no tratamento desses casos, registrando 12 mil pacientes com câncer nos últimos quinze anos de atuação no Acre. A doutora salientou que embora o estado não tenha uma incidência maior de câncer em comparação a outros lugares, a composição jovem de sua população contribui para o número de casos.

“A nossa luta não se resume apenas ao tratamento médico, mas também a desafios estruturais e financeiros. A infraestrutura hospitalar e o suporte financeiro para os pacientes ainda carecem de melhorias. Muitas vezes, as mães precisam abrir mão de seus empregos para cuidar de seus filhos doentes, e famílias de áreas remotas enfrentam dificuldades ao procurar tratamento no centro urbano. O apoio às casas de acolhimento para pacientes é outra área que requer atenção, pois a demanda supera a capacidade atual. É uma jornada árdua, repleta de obstáculos, mas nós precisamos acreditar que o Acre pode melhorar neste sentido”, disse.

A Dra. Valéria destacou ainda que o câncer infantil é uma doença tratável, mas o foco deve ser o diagnóstico precoce. “A comunidade, juntamente com os líderes políticos e a sociedade civil, pode unir esforços para superar os desafios e oferecer um futuro mais brilhante para as crianças acreanas diagnosticadas com câncer. Nós trabalhamos arduamente para isso, mas, podemos fazer mais”, complementou.

Na última década, a história de Emily Tainá tem servido como um farol de esperança para muitos que enfrentam desafios semelhantes. Aos 14 anos, Emily foi diagnosticada com câncer de ovário, uma batalha que ela enfrentou com coragem e determinação.

Emily foi paciente da Unacon e fez questão de compartilhar sua história na tribuna durante a solenidade. Ela disse que sua jornada começou com dores persistentes abaixo da costela, que inicialmente confundiram os médicos. Depois de uma série de exames, a descoberta do tumor, do tamanho de uma laranja, foi um choque para ela e sua família.

“O tratamento não foi fácil, passei por quatro sessões de tratamento que resultaram na perda do meu cabelo. Mas, mantive uma mentalidade positiva e, graças ao tratamento precoce e ao apoio da minha equipe médica e da doutora Valéria em especial, o tumor necrosou, e fui declarada livre do câncer”, disse emocionada.

Uma das preocupações iniciais de Emily era se ela seria capaz de ter filhos no futuro. Apesar das incertezas, Emily seguiu adiante e, mais tarde, celebrou a maternidade, provando que a vida pode florescer após a superação do câncer.

“Sempre falo que a doutora Valéria foi um anjo em minha vida, ela desempenhou um papel fundamental no meu tratamento e recuperação. Por isso eu falo para as pessoas sobre a importância do tratamento precoce, todo câncer tem cura desde que seja descoberto a tempo”, complementou.                                      

Além do depoimento de Emily, várias histórias inspiradoras foram compartilhadas por crianças e jovens sobreviventes do câncer e suas famílias durante a sessão solene. Suas jornadas de coragem e resiliência serviram como um lembrete poderoso de que a esperança nunca deve ser perdida.

Ao final dos depoimentos, a deputada Michelle Melo encerrou a solenidade agradecendo a presença de todos e destacando que neste “Setembro Dourado”, a Aleac renova seu compromisso com a causa.

“Hoje, tivemos um belo retrato do pessoal da saúde. Nós sempre entregamos o nosso melhor, mas, o nosso melhor depende de tanta coisa. A vitória, a cura, o tratamento não precisava ser tão duro para quem o faz, já é uma luta tão árdua e você ainda tem que enfrentar uma série de problemas como a demora nos exames, por exemplo, a falta de medicamentos, enfim. Enquanto a gente não mudar a gestão da saúde, transformar a mesma num método científico e técnico, parar de perseguir profissionais e parar de colocar pessoas meramente por questões políticas, a saúde do Acre não vai mudar. Hoje, estamos fazendo esse clamor nesta Casa para mostrar que não precisa ser tão sofrido, que existe sim uma forma de se fazer uma boa saúde pública”, finalizou a parlamentar.

Texto: Mircléia Magalhães e Andressa Oliveira

Agência Aleac

Fotos: Sérgio Vale