Deputados estaduais se reúnem com servidores do Iapen e membros do cadastro da Polícia Civil

Deputados estaduais se reúnem com servidores do Iapen e membros do cadastro da Polícia Civil

 

A sessão ordinária desta quarta-feira (10) foi suspensa para que profissionais do Instituto de Administração Penitenciária (IAPEN) e do cadastro de reserva da Polícia Civil fossem recebidos. A primeira categoria pede que haja valorização de todos os servidores que integram o sistema penal, e a segunda pede a convocação de pelo menos metade dos aprovados.

Na edição do Diário Oficial de hoje foi divulgada a convocação de 17 candidatos aprovados no cadastro de reserva do concurso da Polícia Civil para a academia de formação policial, fato esse que suscitou a ida dos demais aprovados ao Poder Legislativo.

O representante dos aprovados no cadastro de reserva da Polícia Civil, Valter Evangelista, pontuou que não somente durante a campanha, mas em várias outras ocasiões, o governador Gladson Cameli (PP) afirmou que convocaria todos os aprovados. Ele disse, ainda, que a categoria vem sendo enganada ao longo dos anos.

“Já estivemos aqui em outro momento, esses são concursos de longas datas, houve um comprometimento do governador na época da campanha e também depois disso. A presença e vontade de ingresso nos quadros não partiu somente da gente, isso foi nutrido por diversas vezes. Foi feito um estudo sobre essa possibilidade e contra fatos não há argumentos. Não dá para fingir que não estamos sendo enganados. Há regras sendo exigidas que nunca antes foram aplicadas”, disse.

Em sua fala, o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) frisou que o chamamento do cadastro da Polícia Civil foi uma promessa de campanha do governador. “Há legalidade, há vagas e elas precisam ser preenchidas. Então, vamos à luta! Não vamos deixar o tema esfriar, vocês já acamparam aqui no hall da Aleac, vocês sabem como se faz. Eu vejo que há uma possibilidade, estamos chegando ao final do ano, essa Casa vai aprovar muitos projetos de interesse do governo, então, venham para cá. Somos solidários a vocês”, frisou o oposicionista.

Em relação ao Instituto de Administração Penitenciária, os servidores técnicos administrativos pedem a inclusão da categoria na Lei Orgânica da Polícia Penal com respeito aos direitos legais. A servidora Kátia falou sobre a importância de a classe ser ouvida pelos parlamentares.

“É muito importante para nós estarmos aqui, mesmo que não tenhamos sido ouvidos pelo governador, ser recebidos nesta Casa nos deixa felizes. Escrevemos uma carta para deixá-los a par da nossa situação. Queremos a inclusão na Polícia Penal, é preciso lembrar que houve um único concurso para todos os cargos”, frisou.

Após ouvir o relato dos servidores, o deputado Jenilson Leite (PSB), que conduziu o encontro, disse que a luta não pode parar. “O governador Gladson, além de se comprometer com a palavra dele, também assinou um documento. Ele se comprometeu mais de uma vez a chamar vocês.  Mas nós temos somente até o final do ano para tentar resolver esse impasse, por isso, é importante a presença de vocês nesta Casa, para que se tome novas decisões sobre o assunto. Portanto, não desistam da luta, estamos juntos com vocês nessa causa”, disse o parlamentar.

“Vamos aguardar o governo encaminhar as decisões, a ideia é que seja um projeto único para vir para cá na Lei Orgânica, para que tenhamos uma polícia única, composta pelo corpo técnico e também pelos policiais. Esperamos que o governo tome essa iniciativa, mas caso isso não ocorra, os parlamentares presidentes de comissão já manifestaram que farão essas mudanças aqui mesmo”, concluiu Jenilson Leite.

Andressa Oliveira/ Mircléia Magalhães/ Agência Aleac

Revisão: Suzame Freitas

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com