Comissão de Acompanhamento às Ações de Combate à Covid-19 realiza audiência pública para debater problemas encontrados em hospitais do interior

Comissão de Acompanhamento às Ações de Combate à Covid-19 realiza audiência pública para debater problemas encontrados em hospitais do interior

Os parlamentares que integram a Comissão de Acompanhamento às Ações de Combate à Covid-19 realizaram uma reunião remota na tarde de hoje (17). O encontro contou com a participação de deputados, do secretário de Saúde, Alysson Bestene e do governador Gladson Cameli (Progressistas).

Durante a reunião virtual, os parlamentares relataram os problemas que encontraram nos hospitais do interior na primeira etapa de visitas presenciais às unidades de saúde que são referências para o atendimento de pacientes infectados pelo novo Coronavírus.

Na comissão formada pelos deputados Roberto Duarte (MDB), Cadmiel Bomfim (PSDB), Neném Almeida (sem partido), Gehlen Diniz (Progressistas) e Daniel Zen (PT) foram detectados problemas e necessidades de hospitais e unidades mistas de saúde nos municípios de Tarauacá, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Cruzeiro do Sul, Feijó, Manoel Urbano e Sena Madureira.

O presidente da comissão, deputado Roberto Duarte (MDB), deu início ao seu pronunciamento demostrando sua preocupação com a situação precária de alguns hospitais. O emedebista frisou que a situação é caótica.

“Essa agenda serviu para que a gente comprovasse uma coisa, a saúde está de fato colapsando e o mais grave ainda, as pessoas ainda não entenderam a gravidade da situação. Além dos hospitais não terem estrutura nenhuma para atender os pacientes, as pessoas continuam aglomerando e não fazendo o uso da máscara”, disse.

O relator da Comissão, deputado Cadmiel Bonfim (PSDB), demonstrou preocupação com os hospitais de Manoel Urbano e Feijó. “A parte estrutural é precária. As condições são insalubres. Os hospitais que visitamos enfrentam inúmeros problemas como a falta de ambulância, falta de estrutura e, principalmente, falta de pessoal. Essa é sem dúvida é a maior queixa nas unidades de saúde”, destacou.

Já o secretário de Saúde Alysson Bestene disse durante o encontro com os parlamentares que a procuradoria jurídica da Sesacre está preparando o termo de adesão ao Consórcio do Nordeste para a aquisição de doses da vacina anticovid.

Segundo o gestor, os recursos existem e estão prontos para serem empregados na compra dos imunizantes.
“Neste momento nós precisamos garantir a vacina. Nós esperamos essa garantia dos laboratórios, porém a gente já preparou recursos, estão prontos para comprar a vacina. Essa é a nossa intenção, uma intenção do governador Gladson”, disse.

“Se preservar vidas tiver que me custar um mandato de reeleição, ainda assim eu escolho salvá-las. Foi com essa frase que o governador Gladson Cameli (Progressistas) iniciou seu pronunciamento durante o encontro com os parlamentares.

O governador parabenizou ainda a Aleac pela realização da audiência, e se colocou à disposição para contribuir no que for preciso. 

Ele alertou sobre o quão perigoso é o coronavírus, até mesmo para quem não desenvolveu sintomas mais graves, como ele.

“Eu estava fazendo uma avaliação médica  há pouco, não desenvolvi a forma grave da doença, mas me sinto cansado até mesmo para subir uma escada pequena. Eu estou assustado e faço um apelo para que mais uma vez todos colaborem. Eu não quero politizar nada e reconheço que vocês têm me dado apoio, eu sou grato por isso, o nosso compromisso é com as vidas acreanas”, disse.

O chefe do executivo falou que se tivesse opção não escolheria o lockdown, mas diante da explosão de casos e aumento de mortes, não há outra saída no momento. Ele pede que as pessoas compreendam que essas medidas visam a preservação das vidas. Também assegurou que está pronto para comprar a vacina, e com sua equipe, não tem medido esforços para adquirir dois milhões de doses do imunizante.

“Quando eu afirmei que estou pronto para comprar a vacina, é porque eu irei sim. Se tiver que parar obra ou o que for para comprar, assim eu farei. Estou cansado de ver pessoas perderem a vida para esse vírus. Os servidores da Saúde estão exaustos. Com toda a certeza do mundo eu digo aos deputados que farei o que tiver de ser feito, que vou parar tudo que tiver para comprar dois milhões de doses de imunizantes. Eu estou no meu limite. Eu continuarei tomando todas as medidas que estiverem ao meu alcance para conter esse vírus aqui. E se preservar as vidas tiver que me custar um mandato de reeleição, ainda assim eu escolho salvá-las”, disse emocionado.

Texto: Mircléia Magalhães e Andressa Oliveira/Agência Aleac 

Revisão: Suzame Freitas

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com