“Não podemos aceitar esse tipo de investida”, diz deputado Eber Machado

“Não podemos aceitar esse tipo de investida”, diz deputado Eber Machado

eber150915O deputado Eber Machado (PSDC) disse durante a sessão desta terça-feira (15), na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), que lideranças do Partido dos Trabalhadores estiveram em Brasília reunidas com o presidente nacional do PSDC, José Maria Eymael, para pedir uma intervenção na sigla no Acre. A ideia seria pedir a saída do presidente regional do PSDC, no Acre, José Afonso Vasconcelos.

Além dele, o pedido se estendia também ao presidente regional do PDT no Acre, Luis Tchê. De acordo com Machado, a tentativa foi abortada quando José Maria Eymael disse não à liderança petista.

“Confesso aos senhores que não sou muito fã da palavra ‘não’. Mas me sinto feliz com a palavra ‘não’ dada pelo nosso presidente José Maria Eymael. No momento em que líderes do Partido dos Trabalhadores foram a Brasília tomar o nosso partido. Deixo a minha solidariedade ao nosso presidente José Afonso. O PSDC tem comando aqui no Acre. Não podemos aceitar de maneira nenhuma esse tipo de investida”, disse Eber Machado.

O democrata cristão disse ainda, que se a Frente Popular do Acre conseguiu 5 deputados federais isso se deve aos votos obtidos pelo PSDC, que fazia parte da coligação garantindo o quantitativo de votos na legenda.

“Não queremos acreditar em retaliação, pois foi graças aos votos obtidos pelo nosso presidente, José Afonso, que teve a coragem de ser candidato a deputado federal, que hoje a FPA tem cinco deputados federais”, salienta.

Eber disse ainda que o PSDC sempre foi fiel ao governo Tião Viana (PT), votando matérias até mesmo contra a sua consciência e acrescentou que são os votos dos partidos tidos como ‘nanicos’ que vêm garantindo as eleições majoritárias no Acre.

“Eu votei muitas coisas contra o meu coração. O PSDC exige respeito. O PSDC é leal. A nossa aliança caminha muito bem. O PSDC sempre foi um partido aliado de todas as horas da FPA. Desde 2010 somos fieis aos projetos da FPA. O que fizeram com o PSDC, fizeram com o PDT. Os seis partidos que são considerados nanicos tiveram 127 mil votos. São esses partidos que vêm ganhando as eleições para a FPA”, ressaltou.

O parlamentar finalizou dizendo que na próxima quinta-feira (17) o partido deve se reunir para deliberar se continua ou não na Frente Popular do Acre (FPA).

“Se tivermos que subir em ombros de gigantes para enxergamos mais longe, nós faremos. O sentimento que temos hoje é um sentimento de traição. Quero deixar claro que o PSDC jamais aceitará esse tipo de comportamento. Espero que haja uma explicação para tudo isso. Vamos nos reunir para na quinta-feira (17) para deliberar sobre o futuro do PSDC na Frente Popular”, pontuou.

José Pinheiro
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com