Aleac realiza audiência pública para debater situação dos estudantes de medicina da Ufac

Aleac realiza audiência pública para debater situação dos estudantes de medicina da Ufac

 

A Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) realizou na manhã desta quarta-feira (8), através da Comissão de Saúde, uma audiência pública para debater sobre a prioridade no atendimento da rede pública de saúde aos estudantes do curso de medicina. O encontro foi proposto pelo vice-presidente do parlamento acreano e vice-presidente da Comissão, deputado Jenilson Leite (PSB).

O presidente da Comissão de Saúde, o deputado José Bestene (Progressistas), deu início ao debate saudando a todos os presentes. “Sejam bem-vindos à casa do povo. Recebi com muito carinho essa solicitação do amigo deputado Jenilson por se tratar de um tema muito importante. Espero que possamos sair daqui com uma solução para o problema”, disse.

Em pronunciamento o deputado Jenilson Leite explicou que os problemas que o curso de medicina da Ufac vem enfrentando ultimamente refere-se ao campo prático de estágio dos alunos, ou seja, a falta de preceptores para os acadêmicos da Universidade Federal do Acre. 

O preceptor atua como um complemento dos profissionais, responsável por iniciar o estudante em aspectos práticos de sua profissão dentro de seu ambiente de trabalho. 

O parlamentar frisou que nos últimos anos o Governo Federal vem diminuindo o orçamento da Universalidade, impactando diretamente na qualidade de ensino.

“Haviam mais de 40 bolsas para preceptores, mas devido os cortes atualmente há apenas 16. Apenas 16 profissionais não é suficiente para atender os acadêmicos, por isso estamos propondo destinar recursos para o pagamento de bolsas e assim atender as demandas da Ufac”, explicou o deputado.

Jenilson Leite frisou ainda que o objetivo da audiência é encontrar um elemento mediador para que esses estudantes possam ser recebidos nos hospitais e terem acesso a um preceptor para ajudá-los no aprendizado, na prática.

“Uma das saídas seria aprovar nesta casa uma emenda ao orçamento que vai ser votado na semana que vem para que a gente possa ter uma fatia desse recurso disponibilizado à Ufac. Isso ajudaria na captação de preceptores para os estudantes. O deputado Edvaldo Magalhães apresentou uma emenda ao orçamento. Espero que isso possa dar certo levando em consideração a importância do curso de medicina para o Acre e para a população”, complementou.

A diretora do curso de medicina da Ufac, Fátima Fagundes, salientou que o curso não possui o número suficiente de professores e preceptores para o funcionamento e dinâmica do curso.

“É por este motivo que precisamos dos médicos preceptores. Antes, nós tínhamos bolsas de preceptoria disponibilizadas pelo Ministério da Educação, mas, elas diminuíram porque a Uninorte entrou no mercado, começou a disputar com a gente. Daí ficou tudo mais difícil. Nós precisamos muito da ajuda de vocês, precisamos resolver essa questão”, enfatizou.

O doutor Osvaldo Leal, professor da Ufac, agradeceu a sensibilidade da Aleac ao acatar a solicitação para debater o assunto. “Estamos buscando a solução para esse problema que se avoluma a cada dia que passa, que é a questão dos campos de práticas para os estudantes de medicina da Ufac. É importante que isso seja resolvido para que a Universidade Federal do Acre continue sendo viabilizada na formação de seus estudantes”, enfatizou o médico.

Representando a Secretária de Saúde Paula Mariano, a Técnica do Laboratório de Pesquisa da Secretaria de Saúde, Maria Estela Becker, disse que enquanto equipe técnica, a secretária tem se esforçado para garantir o acesso dos alunos às unidades de saúde.

“Quero dizer aos estudantes de medicina da Ufac que enquanto equipe técnica, temos nos esforçado para garantir o acesso deles aos serviços de saúde com acolhimento, respeito e responsabilidade. Um exemplo disso foi o período pandêmico, onde tivemos que reduzir o número de alunos por ponto de atenção dentro dos hospitais. O que quero reafirmar aqui, é que os serviços de saúde estão disponíveis sim para atender os alunos que estão em formação”, disse.

O deputado Edvaldo Magalhães (PC do B) disse que apresentou uma emenda aditiva ao orçamento com o objetivo de destinar recursos para o pagamento de bolsas e assim atender as demandas da Universidade Federal do Acre.

“A deliberação sobre o orçamento depende de nós, de uma decisão política dessa casa, não depende de mais ninguém. Por isso apresentei essa emenda aditiva ao orçamento como forma de resolver essa situação. A emenda institui o Programa de Desenvolvimento de Bolsas de Preceptoria Médica da Ufac, cujo valor destinado ao programa é de R$ 1 milhão e 900 mil. Isso pode ser feito, pode ser aprovado e virar realidade nos próximos dez dias. Só depende do voto da comissão, desta casa”, frisou o comunista.

Texto: Mircléia Magalhães/Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com