Aleac promove audiência pública com cadastro de reserva da Polícia Civil

Aleac promove audiência pública com cadastro de reserva da Polícia Civil

 

Na manhã desta terça-feira (30) foi realizada na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), uma audiência pública para debater a situação dos aprovados no cadastro de reserva da Polícia Civil do Estado. A iniciativa partiu de membros das comissões de Serviço Público, Trabalho e Municipalismo; Constituição e Justiça e Segurança Pública.

Paulo Henrique, um dos aprovados para o cadastro de reserva, frisou que o grupo não busca convocação imediata, mas sim a possibilidade de que possam cumprir a última etapa do concurso, que é o curso de formação. “Não buscamos nomeação agora, mas a garantia de fazermos a última etapa do concurso, que é o curso de formação. Vai ter uma turma com 17 alunos e o gasto é desproporcional, pois existem três salas alugadas, haverá mais instrutores do que alunos. Hoje, temos cerca de 100 policiais civis a menos que 10 anos atrás. A população aumentou e a tropa não se adequou a isso”.

O deputado Roberto Duarte pontuou que há três anos os parlamentares têm tentado mediar junto ao governo, uma saída para o impasse dos aprovados. Ele também criticou a postura do governador Gladson Cameli (PP). “Vi uma matéria num site local que pontuava que o governador afirma que tinha um parecer favorável para a convocação, mas não ia chamar por birra, pela manifestação que eles fizeram. A Aleac vem se destacando como mediadora dos problemas do executivo e é isso que nós queremos hoje”.

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse que a situação dos aprovados resulta em revolta, devido a falta de comprometimento do governador. “Quem tem que se envergonhar é quem engana, não quem é enganado. Vocês têm uma data para estarem todos aqui, lutando por isso, e é na votação do orçamento.

O deputado Nenem Almeida (Podemos) disse que o governador cometeu um crime eleitoral ao prometer a convocação dos aprovados e não cumprir. “Pena que as leis sejam tão brandas. Por diversas vezes o governador veio aqui, quando vocês estavam acampados, e os mandou para casa, dando a certeza que seriam convocados”.

Ao final da audiência ficou acertado que no próximo dia 14 de dezembro, quando provavelmente será votada a Lei Orçamentaria Anual (LOA), os aprovados irão para o Poder Legislativo pressionar o governo pela convocação.

Andressa Oliveira/ Agência Aleac

Revisão Suzame Freitas

              

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com