Integrantes do cadastro de reserva da Policia Civil são recebidos no Plenário da Aleac

Integrantes do cadastro de reserva da Policia Civil são recebidos no Plenário da Aleac

 

O presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Júnior (Progressistas), suspendeu a sessão desta quarta-feira (17) para receber os candidatos do cadastro de reserva do concurso da Polícia Civil que não foram convocados pelo Governo do Estado na última quarta-feira (10).

A categoria não concorda com o total de pessoas convocadas pelo executivo (distribuídas para os cargos de agente, auxiliar de necropsia, delegado de polícia e escrivão) para o curso de formação.

A reunião foi conduzida pelo deputado Jenilson Leite (PSB), que pontuou que o assunto foi pauta de discursos de diversos parlamentares durante o pequeno e grande expediente. “É importante recebermos vocês aqui, hoje, pois assim entenderão que queremos sim, ajudá-los e ouvirmos as dificuldades que vocês vêm enfrentando. É uma situação muito difícil e um embate que já se arrasta por alguns anos, mas lutaremos juntos até o fim”.

A integrante do movimento, Michele Santos, argumentou que a categoria acompanhou todo o processo de convocação que tramitou nas principais secretarias e na Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e identificou que o executivo não usou a mesma regra, no que diz respeito às vacâncias, que foi utilizada no chamamento do cadastro de reserva da Polícia Militar.

“Não teve isonomia. Passamos a noite esperando uma publicação que foi feita às escuras, na madrugada. Ao acompanharmos todo o processo, identificamos que a regra que utilizaram para o nosso caso não é a mesma que aplicaram para o cadastro de reserva da PM. Que decisão injusta é essa? ”, questionou.

O deputado Edvaldo Magalhães (PC do B) se solidarizou com a causa. Disse, ainda, que a mobilização dos integrantes do cadastro de reserva é importante e necessária para a resolução do problema.

“Quando chega nesse ponto de frustração que vocês se encontram é necessário jogar limpo com vocês. Se não tiver mobilização como essa que vocês estão fazendo nada será resolvido. A questão só virou notícia porque vocês vieram para a luta. Então, eu sugiro no dia 30 deste mês a realização de uma audiência pública nesta casa com a presença de vocês e da equipe do governo do Estado. Por isso, a mobilização é tão necessária”, disse Magalhães.

O deputado Neném Almeida falou que a luta dos integrantes do cadastro de reserva da Polícia Civil precisa ser intensa. “A força está com vocês. Nós somos apenas um mecanismo que vocês precisam usar e estaremos disponíveis o tempo que vocês precisarem. Estamos unidos nesta causa, os 24 deputados estaduais estão do lado de vocês”, enfatizou.

Paulo Henrique, membro da comissão dos aprovados, agradeceu aos parlamentares pela categoria ser recebida e lamentou que eles tenham que realizar manifestações, diariamente, para pressionar o governador a cumprir com uma promessa feita por ele.

“Corremos atrás desse sonho que vem sendo alimentado há quatro anos. Temos acompanhado o trabalho de cada um de vocês e os parabenizamos por nos apoiarem. Temos um concurso válido e uma convocação de somente 17 pessoas, com a menor academia da história da Polícia Civil, são muito mais instrutores do que alunos. Sabemos da Lei de Responsabilidade Fiscal, mas nossa convocação não implica com isso, pois no ato da convocação ganharemos uma bolsa e o governo tem o recurso, o que falta é a vontade de nos permitir deixar fazer o curso de formação, pois aí sim, teremos um prazo de dois anos para podermos esperar ser convocados quando o governo tiver enfim condições financeiras para tal”, pontuou.

Andressa Oliveira/ Mircléia Magalhães/ Agência Aleac

Revisão: Suzame Freitas

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com