Deputado Daniel Zen realiza audiência pública com técnicos do IPEA para discutir sobre a rota bioceânica entre Brasil e Peru

Deputado Daniel Zen realiza audiência pública com técnicos do IPEA para discutir sobre a rota bioceânica entre Brasil e Peru

A pedido do deputado Daniel Zen (PT) foi realizada na manhã desta segunda-feira (18), uma audiência pública para oitiva de técnicos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a fim de apresentar o relatório da visita técnica que procurou analisar a viabilidade da rota rodoviária bioceânica da BR 317, fronteira de Assis Brasil e Inãpari.

Durante a audiência foram debatidas as transformações geoeconômicas em direção ao Oeste brasileiro, em especial, na Amazônia Sul-Ocidental e o papel das instituições e dos projetos de infraestrutura no desenvolvimento regional Sul-Americano. O grupo também apontou o crescimento do comércio exterior no Estado nos últimos anos e o potencial para maior expansão.

“Recebemos uma comitiva de vários técnicos do IPEA que acompanham os dados dos diferentes corredores de ligação bioceânica do Brasil com os demais países da América do Sul. Eles vieram em uma missão de teste da ligação, para fazer um processo de conferência com os dados que eles têm compilados dos diferentes ministérios e também para observar, em campo, os gargalos que se apresentam para otimização dessa ligação, tanto do ponto de vista do comércio exterior, como do fluxo de pessoas”, explicou Daniel Zen.

O parlamentar também pontuou que, durante a audiência, os técnicos apresentaram o resultado da visita feita ao local. “São informações riquíssimas e com muitos dados, inclusive, de tudo que tem passado de mercadoria pela Aduana de Assis Brasil ao longo dos últimos anos. Também foram apontados os problemas que evitam que esse crescimento do comércio exterior seja ainda maior. Há várias medidas que podem ser tomadas no sentido de melhorar ainda mais esse fluxo de mercadorias e de pessoas. Eles apontaram o volume de aumento de exportação do Acre, que cresceu em mais de vinte vezes nos últimos anos, mas tem potencial de crescer ainda mais, desde que sejam resolvidos alguns problemas”.

A Expedição Amacro e Saída ao Pacífico” justifica-se dada a importância de avaliar o impacto ambiental e socioeconômico das transformações produtivas em direção ao oeste da Amazônia sul-americana. A expedição científica permitirá propor a estruturação de um grupo de trabalho entre os governos subnacionais dos estados que compõem a Amacro, o governo peruano e demais interlocutores amazônicos, como os povos nativos e representantes da sociedade civil.

Um dos estudos feitos pelos técnicos do IPEA apontam que as obras de integração poderão possibilitar que os volumes de produção e de comércio do Acre, junto aos dos estados vizinhos, acumulem ganhos de escala, fator fundamental para tornar viável a rota interoceânica rumo aos mercados regionais da costa do Pacífico das três Américas e da Ásia.

Em 2020, os principais produtos vendidos pelo estado para o mundo, em SH4, foram: madeiras (39% do total), miudezas comestíveis de animais (26%), castanha-do-pará (11%), couros e peles de bovino (6,7%), milho (4,5%) e soja (3,6%). Juntos, Bolívia e Peru respondem por 25% do total das exportações do Acre.

Andressa Oliveira/ Agência Aleac

Revisão: Suzame Freitas

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com