Neném Almeida diz que facções cobram “taxa de proteção” para comerciantes

Neném Almeida diz que facções cobram “taxa de proteção” para comerciantes

 

Em pronunciamento na sessão desta terça-feira (5), o deputado Neném Almeida (Podemos) demonstrou preocupação com o aumento da criminalidade em Cruzeiro do Sul. Segundo ele, para ter segurança os comerciantes estariam pagando uma “taxa extra” às facções.

“Os comerciantes de Cruzeiro do Sul vivem uma insegurança terrível. Como se não bastasse o ICMS que o governo não baixa, agora os empresários têm que pagar essa taxa de proteção para as facções. E não é só no Juruá que esse tipo de coisa acontece, aqui na capital acreana, no centro da cidade, essa taxa também é cobrada”, disse.

O parlamentar questionou, ainda, o porquê das ligações de emergência do número 190 dos moradores do interior do Acre, atualmente, serem atendidas por uma equipe em Rio Branco.

“Agora eu pergunto: Por que não existe uma central do Ciosp (190) em Cruzeiro do Sul? Por que centralizar esse atendimento só em Rio Branco? Será que o povo cruzeirense não merece? O governo ainda diz que estamos às mil maravilhas”, enfatizou.

No grande expediente, Neném Almeida falou sobre o cadastro de reserva da Polícia Civil. “O governador assinou um documento se comprometendo com essas pessoas, ele cometeu um crime de campanha, e até agora é só enganação. Vocês precisam reivindicar porque se não fizerem isso, esse governo e o outro passam, e nada vai acontecer”, finalizou.

Texto: Mircléia Magalhães/Agência Aleac

Revisão: Suzame Freitas

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com