Sobre assalto à Maternidade Bárbara Heliodora Roberto Duarte afirma: “Não foi por falta de aviso”

Sobre assalto à Maternidade Bárbara Heliodora Roberto Duarte afirma: “Não foi por falta de aviso”


Em pronunciamento na sessão desta terça-feira (17), o deputado Roberto Duarte (MDB) comentou o assalto ocorrido na última sexta-feira (13), na Maternidade Bárbara Heliodora. O parlamentar ressaltou que em junho deste ano apresentou uma indicação à Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e ao Comando da Polícia Militar do Acre (PMAC) solicitando o fortalecimento da segurança no prédio, mas em resposta ao documento, o órgão disse que não poderia atender por conta da “natureza da razão do pedido”.

“A nossa maternidade foi assaltada novamente e não foi por falta de aviso.  A justificativa de não poder atender o meu pedido para que houvesse um policiamento da PM de forma ostensiva dentro do prédio, foi que eles não são responsáveis pela segurança da unidade. E quem seria? A falta de segurança na maternidade não é novidade. É comum o relato de furtos em veículos estacionados no pátio da unidade de saúde, assaltos a servidores e pacientes”, frisou.

O emedebista falou ainda sobre a declaração da diretoria da Sesacre após o ocorrido. “Eles não atenderam o meu pedido, mas depois do assalto de sexta-feira o diretor da Sesacre disse que iria tomar providências cabíveis para melhorar a segurança do local. Ora, por que não tomou antes quando eu fiz a solicitação do policiamento ostensivo? Por que esperaram a coisa se agravar para tomar uma atitude? Infelizmente, esse é o novo governo que tanto lutamos para conquistar”, disse.

O deputado também destacou o levantamento realizado pela Superintendência de Transportes e Trânsito de Rio Branco (RBTRANS), que revelou que nos primeiros seis meses do ano foram registradas 94 ocorrências de assaltos dentro dos ônibus da capital acreana.

“Outro fator que preocupa é que as câmeras internas dos ônibus não são monitoradas pelo Ciosp, o que dificulta uma ação mais efetiva da Polícia Militar durante as ocorrências. Cerca de 60% dos ônibus possuem câmeras unicamente para fim de controle da empresa, ou seja, o Ciosp finda não tendo acesso às câmeras. Os assaltos aos ônibus da capital continuam ocorrendo, nós já temos um transporte coletivo de péssima qualidade e agora a insegurança que assola os usuários”, complementou.

Com o intuito de garantir a segurança dos usuários do transporte coletivo, Roberto Duarte sugeriu a realização de blitz e abordagens em áreas que apresentam maiores índices de roubo na capital. Sugeriu ainda a instalação de um “Botão de Emergência” nos coletivos de Rio Branco.

“Quando fui vereador apresentei um projeto de lei sugerindo a instalação do Botão de Emergência nos ônibus, bem como a instalação de câmeras de monitoramento. São medidas que podem coibir a ação de criminosos dentro dos coletivos. Outra medida que ajudaria demais seria a instalação de um Comitê de Segurança dos Transportes Coletivos, um método que funciona e que, inclusive, já é utilizado em outras capitais da federação”, finalizou.

Texto: Mircléia Magalhães
Revisão: Suzame Freitas
Foto: Raimundo Afonso
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Facebook