Jenilson Leite: “Eu desafio o governador a mostrar onde está o Cartel e a desmontá-lo”

Jenilson Leite: “Eu desafio o governador a mostrar onde está o Cartel e a desmontá-lo”

Em pronunciamento na sessão desta quarta-feira (29) o vice-presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Jenilson Leite (PC do B), voltou a questionar o governo do Estado sobre os gastos financeiros. O parlamentar afirmou que é preciso entender o fato do Executivo ter dinheiro em caixa e faltarem medicamentos e estrutura para o atendimento nos hospitais.

“Eu volto a pedir que o governador explique quais critérios foram adotados para os gastos financeiros. Volto a perguntar: por que o governador guarda R$ 1 bilhão de reais diante da crise na saúde pública do Acre? Se tem dinheiro que ele aplique, os investimentos precisam ser feitos”, disse.

O oposicionista questionou a afirmação feita pelo governador Gladson Cameli (PP) durante entrevista a um site local, de que o Estado não possui R$ 1 bilhão depositado nos cofres públicos, e que a oposição estaria equivocada.

“O governador desafiou a oposição a dizer onde está esse dinheiro, quando quem tem que mostrar onde está esse recurso é ele. Eu volto a repetir, esse recurso precisa ser aplicado o mais rápido possível para garantir o funcionamento dos serviços públicos, todo esse dinheiro não pode ficar parado”, enfatizou.

Outra declaração do governador que foi questionada pelo comunista foi em relação a existência de um cartel dentro da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre). Jenilson Leite disse que o governo do Estado precisa provar que o cartel realmente existe.

“O governador voltou com esse assunto polêmico que precisa ser esclarecido o mais rápido possível. Eu o desafio a mostrar o cartel e a desmontá-lo. Também a comprar medicamentos para os hospitais e contratar mais servidores para a saúde. Se existe um cartel e é ele que está inviabilizando as ações da saúde, que isso seja resolvido. O governador precisa mostrar para que veio. Ele precisa fazer com que os serviços púbicos funcionem”, pontuou.

Ainda de acordo com o deputado, o governador afirmou que existe uma ingerência na saúde. “Ora, governador. O senhor tem a caneta. Se existe o cartel ele precisa ser desmontado. Não adianta olhar para o retrovisor. Continuem olhando para o retrovisor que vocês serão retirados daqui a 4 anos”, salientou.

Jenilson Leite apresentou ainda uma indicação ao governo do Estado, pedindo a criação imediata de uma Assessoria Especial de apoio aos povos indígenas, que será o instrumento de diálogo para os debates das políticas indígenas.  O parlamentar solicitou ainda que se designe um quantitativo suficiente para o funcionamento da Assessoria Especial Indígena, dos 450 cargos comissionados criados na Reforma Administrativa.

“Após seis meses de governo do Acre, ainda não foi criada a assessoria indígena para cuidar das políticas indígenas. Vejo como extremamente necessário o investimento na educação, saúde, meio ambiente e cultura. O governador precisa conhecer e ouvir a população que vive isolada nas aldeias e esquecida das políticas públicas. Mostra-se extremamente necessária a indicação de um assessor dos povos indígenas, que é o principal elo dos povos indígenas com o poder executivo estadual”, justificou.

Mircléia Magalhães
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com