Edvaldo Magalhães diz que governador se contradiz ao criar novos cargos

Edvaldo Magalhães diz que governador se contradiz ao criar novos cargos

Edvaldo Magalhães diz que governador se contradiz ao criar novos cargos

O texto da Reforma Administrativa protocolado na semana passada pelo vice-governador Major Rocha (PSDB) e o Chefe da Casa Civil, Ribamar Trindade, na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), foi o principal debate da sessão desta terça-feira (21). Em pronunciamento na tribuna, o deputado Edvaldo Magalhães (PC do B) frisou que a reforma enviada pelo governo ao Poder Legislativo contém cargos que não estavam previstos.

“Essa reforma contém alguns ajustes a mais do que havia sido prometido pelo governador. Ao analisá-la vi que foram criados cargos que não estavam previstos e há uma certa contradição nisso. Em dezembro do ano passado o governador questionava o excesso de cargos do governo anterior e agora ele vem com essa de criar mais cargos? ”, indagou.

O oposicionista disse que provará que o governador Gladson Cameli (PP), ao apresentar a reforma administrativa, cria mais CECs que o governo anterior. “O governador não pode transformar o gato em coelho, ou coelho em repousa. É preciso dar nomes aos bois para que todo mundo saiba o que está sendo proposto. Durante todo o dia de hoje, nós vamos provar durante esse debate acerca da reforma, que o governo Gladson Cameli pretende criar mais CECs do que Tião Viana”, enfatizou.

O parlamentar falou ainda dos novos comissionados que foram nomeados pelo governo. “Na campanha, Gladson dizia que existiam várias empresas no Estado que não serviam para nada, e que ele iria extingui-las. Ele fez o contrário disso, na Colonacre, por exemplo, foram criadas 21 CECs, 66 gratificadas, e estamos falando de CECs gordas. Na Acredata, 12 CECs foram criadas e 72 funções gratificadas, e na Sanacre foram 21 CECs e 150 funções gratificadas”, revelou.

Mircléia Magalhães
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Facebook