Deputado Daniel Zen denuncia atraso em início do ano letivo em escolas da zona rural de Porto Acre

Deputado Daniel Zen denuncia atraso em início do ano letivo em escolas da zona rural de Porto Acre

Deputado Daniel Zen denuncia atraso em início do ano letivo em escolas da zona rural de Porto Acre

O deputado Daniel Zen (PT) usou a tribuna durante sessão desta terça-feira (14) para denunciar o atraso no início do ano letivo na zona rural de Porto Acre. O parlamentar disse que a demora ocorre devido à falta de acordo por parte de uma empresa de Manaus que foi contratada pelo governo, com os barqueiros que realizam o transporte dos estudantes.

Zen afirmou se tratar de um absurdo o governo dar prioridade a empresas de Manaus, quando poderia contratar agências do Estado. Ele alega que os barqueiros não conseguem entrar em contato com os proprietários da empresa que foi contratada para administrar o transporte escolar no Acre.

“Nessa região do antigo Seringal Bom Destino, são quatro escolas públicas que ainda não tiveram o ano letivo iniciado. Estão colocando muita burocracia para a contratação dos barqueiros, que por sua vez não conseguem sequer se comunicar com um representante da empresa contratada pelo governo. Enquanto isso, os alunos são os maiores prejudicados”, lamentou.

Daniel Zen indagou o motivo pelo qual o governo não dá prioridade às empresas acreanas e, de acordo com ele, tem continuamente contratado corporações de Manaus. Ele alega que esse tipo de atitude acaba por enfraquecer o empreendedorismo local.

“O que esse governo tem contra as empresas do Acre? Por que tem dado preferência sempre às agências de Manaus? Será que não temos aqui no Estado quem possa realizar esse tipo de trabalho? Claro que temos! Deixo meu apelo para que resolvam essas questões. Vamos prezar pelo bom senso e passar a valorizar o que temos aqui”, solicitou.

O parlamentar concluiu seu discurso falando sobre as dificuldades que os produtores rurais de Porto Acre têm enfrentado, uma vez que o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) está em processo de desmonte pelo governo federal. Zen disse que mesmo diante dos problemas, o índice da produção de banana no local é satisfatório, e que os agricultores têm sido verdadeiros guerreiros para conseguirem se manter no mercado.

“A produção é satisfatória e até bem significativa para os padrões da agricultura familiar. Boa parte da produção era absorvida pelo PAA, coisa que atualmente se torna difícil, uma vez que o governo federal está acabando com esse projeto. Nossa esperança é que revejam isso, pois para que a economia melhore é necessário que se valorize a produção rural”, concluiu.

Andressa Oliveira
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com