José Bestene diz que PT instalou indústria de multas na capital

José Bestene diz que PT instalou indústria de multas na capital

Em sessão realizada nesta quinta-feira (7), o deputado José Bestene (PP) afirmou que é necessário dar um basta na indústria de multas de trânsito na capital. O parlamentar também rebateu Daniel Zen (PT), que criticou o atendimento ambulatorial que vem sendo realizado no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), e disse que a medida é temporária, uma vez que o governo petista entregou a Saúde afogada em um verdadeiro caos.

“O deputado Roberto Duarte levantou uma discussão importante sobre as multas aplicadas na capital. Não sabemos ao certo onde é aplicado os recursos arrecadados. O governo petista instalou uma indústria de multas em vez de trabalhar a conscientização das pessoas no trânsito. Existem trechos de rodovias onde não se pode trafegar acima de 40km por hora, isso não existe”, criticou.

José Bestene também rebateu as críticas feitas pelo deputado Daniel Zen, que durante sessão realizada na última quarta-feira (6) disse que o atual governo fez do Huerb uma verdadeira sucursal do inferno ao instalar atendimento ambulatorial no local. O deputado da base do atual governo disse que essa é uma afirmação precipitada e errônea, uma vez que o PT entregou a Saúde do Estado em situação de abandono e muitas pessoas que procuravam as Unidades de Pronto Atendimento não conseguiam consulta. Reiterou também que a medida é temporária.

“O PT tratou a Saúde do Estado com descaso. As UPAs não estavam oferecendo atendimento suficiente, as pessoas que buscavam a unidades hospitalares do município voltavam para suas casas sem serem atendidas. A solução temporária foi realizar atendimentos ambulatoriais no Huerb, mas conforme o governo for readequando os demais hospitais, tudo funcionará normalmente”, explicou.

O parlamentar disse ainda que os ribeirinhos necessitam de um olhar especial em relação à saúde, uma vez que muitos vivem distantes das cidades e quando adoecem não têm a quem recorrer. Ele defende que os atendimentos realizados pelo barco-hospital sejam contínuos e pede que o governador mantenha a embarcação responsável por esse serviço o ano inteiro no Estado e não como era feito, com o barco 45 dias aqui e o restante do ano ancorado no Amazonas.

“Os atendimentos realizados pelo barco-hospital ajudam a salvar vidas. Aquela embarcação é um patrimônio do povo acreano, adquirida com verba pública e precisa fazer atendimentos o ano inteiro. Não é normal utilizarmos a embarcação somente 45 dias do ano e o restante dos dias ela ficar ancorada no Amazonas. Vamos trabalhar orientando o governo e o secretário de Saúde para que eles tomem providências acerca disso”, concluiu.

Andressa Oliveira
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com