Aleac realiza sessão solene em alusão à Semana do Quadrilheiro Junino

Aleac realiza sessão solene em alusão à Semana do Quadrilheiro Junino

Em meio à muita diversão, dança e cantoria, a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) realizou nesta quinta-feira (7) a primeira sessão solene em alusão à Semana do Quadrilheiro Junino. A solenidade foi proposta pelo primeiro-secretário do Parlamento acreano, deputado Manoel Moraes (PSB), através de um requerimento aprovado por unanimidade pelos deputados. Em pronunciamento, Manoel Moraes falou da importância de se manter a tradição dos quadrilheiros juninos.

“É a primeira vez que realizamos uma sessão solene para homenagear os quadrilheiros juninos e eu estou muito feliz com a presença de vocês. O Parlamento está mais bonito e colorido hoje. Acredito que ao dedicarmos uma semana ao quadrilheiro junino estamos oficialmente incorporando essa tradição das manifestações culturais brasileiras e homenageando todos que fazem com que se preserve esse legado nacional, disseminado nos estados e municípios. Estamos não só reconhecendo os cantares e falares da nossa gente, mas também tirando jovens da ociosidade e consequentemente evitando que muitos entrem para o mundo do crime”, enfatizou.

Jimy Silva, presidente da Liga de Quadrilhas Juninas do Acre, falou do papel social que o movimento de quadrilhas juninas cumpre no Estado. “A Semana do Quadrilheiro Junino é muito importante para nós, é nesse período que a gente consegue ser reconhecido como fazedor de cultura. Eu não poderia deixar de frisar também o trabalho extraordinário que o movimento junino realiza dentro das comunidades. A gente consegue, sim, mesmo diante das dificuldades, fazer um trabalho social incrível. Quero agradecer ainda ao apoio do Marcus Alexandre, que quando estava na prefeitura de Rio Branco sempre teve um olhar carinhoso com a gente, e ao governo do Estado que mesmo diante da crise financeira sempre tem nos ajudado”, disse.

Karla Martins, diretora-presidente da Fundação de Cultura Garibaldi Brasil, destacou o crescimento do movimento cultural representado pelas quadrilhas juninas no Estado do Acre.

“Estamos falando de um movimento forte, de afirmação social, é assim que as quadrilhas de Rio Branco trabalham. É de uma beleza tão impactante que a plateia chega a se assustar. Os festivais de hoje são assim. Hoje, as quadrilhas juninas realizam seus próprios nos próprios bairros, nas suas próprias comunidades. Um trabalho importante, que tem um elemento que não é palpável que é a integração. Um pertencimento cultural que nos cabe reconhecer, apoiar e aplaudir. Este ano, completamos vinte anos de arraial com muitas dificuldades, mas a retração financeira do país tem nos penalizado, mas a importância e a resistência desse movimento continuam e prevalecerão”, enfatizou.

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura Garibaldi, Sérgio de Carvalho, destacou a importância da valorização da cultura para atravessar as dificuldades referentes à segurança em todo o país. Disse ainda que a inclusão que esses programas oferecem é essencial para espalhar o respeito mútuo.

“Ontem estava revendo um trabalho que estou fazendo sobre os companheiros de Chico Mendes, de Xapuri, onde eles relataram que antes não conseguiam ter acesso a Assembleia Legislativa, mas agora a Aleac abriu suas portas para eles. Isso ocorre hoje com o movimento cultural. Estamos ocupando espaços políticos, é um momento histórico, de afirmação da cultura junina. Dessa forma conseguiremos transformar esse quadro de violência pelo qual o Brasil tem passado. Só conseguiremos fazer essa travessia valorizando nossa cultura”, afirmou.

O membro fundador da Liga de Quadrilhas Juninas e diretor de Arte da Fundação Garibaldi Brasil, Cimar dos Santos, falou sobre as oportunidades que o movimento oferece a jovens que vivem em bairros periféricos. Ele afirma que a cultura amplia e melhora a visão de mundo das pessoas.

“Quando começamos esse movimento das quadrilhas enfrentamos muitas dificuldades, mas a energia e o amor pelo movimento eram o mesmo. Com a criação da Liga de Quadrilhas, nós avançamos muito, pois ela realiza todo um trabalho social dentro das comunidades. Pegar um menino de um bairro periférico e levar ele a Brasília, e oferecer oportunidades para ele, faz com que ele tenha uma outra visão de futuro”, ressaltou.

Para Francilene dos Santos, coordenadora da Quadrilha Junina CL na Roça, a solenidade é uma forma de reconhecimento do Poder Legislativo aos quadrilheiros juninos. Ela destacou ainda o fortalecimento que o movimento adquiriu ao longo dos anos.

“Estar aqui hoje recebendo essa homenagem é muito gratificante, significa que estamos no caminho certo. A Liga de Quadrilhas Juninas do Acre foi fundada em 2001 com o objetivo de unir mais os quadrilheiros juninos, de buscar fortalecimento e valorização. Com muita garra e determinação desse grupo conseguimos nos fortalecer, crescer mais. Adquirimos mais força através das políticas públicas que conseguimos implementar. Isso foi muito importante para o movimento”, frisou.

Os que os parlamentares disseram:

Jesus Sérgio (PDT)
“Quadrilha junina lembra muito a minha infância, já participei na escola e gostava muito. Acho uma pena a falta de investimento por parte do governo do Estado, o Acre investe muito pouco na área da cultura. Nós, que herdamos essa origem nordestina, precisamos de mais ações que fortaleçam cada vez mais o movimento de quadrilhas juninas do Estado”.

Jenilson Leite (PCdoB)
“É uma felicidade muito grande recebê-los aqui. Esse é um movimento muito lindo! Essa cultura é responsável por arrancar sorrisos da nossa população. O deputado Manoel Moraes fez muito bem ao propor essa homenagem. Vivemos momentos de tanta violência, não podemos pensar em diminuir isso a não ser investindo na cultura. O jovem que sai da escola sem oportunidade de ir para um ambiente que o faça crescer, pode ir para caminhos errados, e a cultura tem a capacidade de resgatar essas vidas. ”

Daniel Zen (PT)
“A todos os membros das quadrilhas juninas, que se esforçam durante todos os anos, sobretudo nesse período onde ocorrem também as competições, meus parabéns. As quadrilhas juninas fazem parte da nossa formação histórico-cultural, pois desde pequenos aprendemos até mesmo na escola sobre esse movimento. É algo que faz parte do nosso senso comum e da nossa cultura, e, portanto, deve ser cultivado, valorizado e incentivado. ”

Mircléia Magalhães e Andressa Oliveira
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com