Deputado Lourival Marques destaca investimentos na agricultura familiar e rebate críticas sobre aquisição de computadores pelo IDAF

Deputado Lourival Marques destaca investimentos na agricultura familiar e rebate críticas sobre aquisição de computadores pelo IDAF

Durante sessão realizada nesta quarta-feira (11), o líder do PT na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Lourival Marques, rebateu críticas de que os computadores adquiridos pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (IDAF) estariam com valores superfaturados. O parlamentar também destacou os investimentos realizados pelo governo no setor rural do Bujari.

“Acredito que os deputados da oposição irão ficar cada dia mais desesperados, pois usar a tribuna para fazer denúncias infundadas é um ato de desespero. Todo e qualquer equipamento adquirido pelo IDAF passa por todo um processo de pesquisa de preços no pregão eletrônico. O valor de cada computador foi de R$ 2.600,00 e deixo essa informação aqui para que não haja qualquer mal-entendido”, afirmou.

Lourival Marques destacou também o investimento realizado pelo governo no setor de produção rural do Bujari, onde 42 produtores foram beneficiados com mais de 50 produtos da agricultura familiar. “Antigamente nossos alunos se alimentavam apenas de bolacha e outros produtos, hoje, com apoio do governo e o investimento feito na agricultura familiar, eles recebem uma alimentação balanceada”, enalteceu.

No tempo destinado à Explicação Pessoal dos parlamentares, Lourival Marques pediu que as audiências públicas que estão sendo realizadas para tratar do projeto de lei que proíbe a saída in natura da castanha do Acre sejam realizados após o pleito eleitoral deste ano. De acordo com ele, algumas pessoas estão se aproveitando do encontro para fazer discursos politiqueiros.

“É importante que essas audiências aconteçam após o período eleitoral, evitando haver um debate meramente político e não técnico. Sabemos o potencial que temos desse produto, mais de duas mil famílias vivem da exploração da castanha, mas o momento pede cautela. Discutindo o tema após as eleições de 2018 o faremos de forma que o foco seja apenas o mercado da castanha e não a política partidária, evitando que pessoas que sequer fazem parte dessa cadeia produtiva se aproveitem para fazer discurso politiqueiro”, finalizou.

Andressa Oliveira
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com