Deputada Eliane Sinhasique critica governo por gastos com advogados dativos

Deputada Eliane Sinhasique critica governo por gastos com advogados dativos

A líder do MDB na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputada Eliane Sinhasique, falou durante a sessão desta quarta-feira (21), que os valores gastos pelo governo do Estado com advogados dativos nos últimos anos, ultrapassaram os limites aceitáveis. Disse ainda que alguns desses profissionais estão entrando com ações na Justiça para receber seus honorários.

“Em 2013 o governo gastou pouco mais de R$ 1 milhão, em 2016 o valor foi acima de R$ 5 milhões. Ano passado foram absurdos R$ 10 milhões. É uma sangria que não tem tamanho. Muitos advogados dativos estão entrando com ações na Justiça para receber seus honorários atrasados”, criticou.
A parlamentar fez uma comparação entre os valores gastos durante um ano na capital e em um município do interior. De acordo com ela, em 2016, em Rio Branco, foram 978 processos sob a responsabilidade de advogados dativos e 505 em Xapuri. No entanto, mesmo tendo um número inferior de processos, Xapuri recebeu quase o dobro no pagamento.

“Em Rio branco, no ano de 2016, tivemos 978 processos sob a responsabilidade de advogados dativos, em Xapuri foram 505 processos. Só que lá foi pago mais de um milhão para esses profissionais. Rio branco, mais processos menos dinheiro, Xapuri menos processo e mais dinheiro. Outro absurdo ocorrido ano passado foi que o governo abriu concurso para 15 vagas de defensores públicos, mas ele não previu o cadastro de reserva, e dos 15 que passaram, apenas dois são acreanos. Os demais aprovados também estão passando em concursos fora do Estado e provavelmente não ficarão aqui”, criticou.

No tempo destinado ao Grande Expediente, Eliane Sinhasique criticou os gastos do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) com caminhões pipa. De acordo com a parlamentar, em 2017 foram gastos mais de R$ 20 milhões para que bairros localizados em áreas mais altas da cidade e também instituições públicas fossem abastecidas com água. Disse ainda que se houvesse investimento para melhorar a rede de distribuição na cidade o valor seria bem menor.

“A verdade é que o Depasa, apesar de ter um dos maiores orçamentos do Estado, não consegue construir estações elevatórias no Estado. A população aumentou, os bairros cresceram, mas a infraestrutura não acompanhou isso. Hoje, esses milhões são gastos para levar água para as escolas, presídios e hospitais, porque o Depasa não consegue distribuir água. O governo trata a água, vende para o caminhão pipa e depois compra essa mesma água que ele tratou, por um preço quadruplicado. Gasta muito e gasta mal! ” Finalizou.

Andressa Oliveira
Agência Aleac

Sobre agencia agencia

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com